Um blogue sobre comunicação inteligente

11
Nov 10

 

Feita a introdução ao tema dos blogues corporativos aqui, onde explicámos como estes se podem revelar numa precisa ferramenta de Relações Públicas da sua empresa, passemos então a algumas questões práticas: 

Plataforma: O primeiro passo será escolher uma boa plataforma gratuita como Wordpress, Blogger, Typepad ou a nacional Blogs do Sapo entre outras.

 

Autores: A seguir põe-se a questão de seleccionar uma equipa para alimentar o projecto com conteúdos de interesse e com regularidade. Se não possui gabinete ou assessoria de relações públicas, procure entre os colaboradores aqueles com mais sensibilidade para a comunicação e simultaneamente mais versáteis na utilização da escrita. É fácil criar um blogue de testes para a equipa treinar, e poderá sempre contratar umas horas de formação leccionadas por bons peritos.

 

Conteúdos: Estabelecida uma linha editorial é preciso estabelecer uma fonte de inspiração para os conteúdos. Há que não inventar a roda todos os dias: promova a reciclagem de temas e textos existentes. Certamente encontrará muita matéria-prima em trocas de e-mails com clientes, press-releases, discursos, notícias da sua indústria, testemunhos de clientes, etc. etc. Quanto à periodicidade de publicação, o ideal seria a diária para melhor fidelizar os leitores visitantes; contudo, se a estrutura disponível não o permitir, a publicação de um post por semana é o mínimo para um sucesso aceitável da empreitada.

 

Grafismo: Finalmente, mas não menos importante é o template, o desenho gráfico do seu blogue. Nesta área tão sensível para a reputação duma marca, o ideal seria recorrer a um profissional de Web-design, mas se não o puder fazer limite-se a escolher, dentro do menu de opções modelos e cores, uma solução inócua para que o seu branding seja religiosamente respeitado.

 

(Continua)

publicado por João Távora às 18:51

comentários:
Caro João,
A sua análise é totalmente errada e passo a explicar porquê.

1. Um blogue corporativo terá que estar sempre alojado no domínio do site da empresa. A última coisa que se quer é que o visitante tenha que sair do ambiente onde está (a presença web da empresa) para um ambiente exterior pois isso reduz as possibilidades de o visitante voltar ao site. Um blog corporativo deverá estar sempre alojado num endereço tipo http://blog.empresa.pt ou http://empresa.pt/blog, isto é num subdomínio onde seja transparente que aquele blog pertence a determinada empresa só olhando para o URL (que é afinal o que é depois partilhado).

2. Fala em plataformas gratuitas mas esquece as verdadeiras plataformas gratuitas que podem ajudar uma empresa a ter um blog corporativo instalado no seu domínio: Wordpress (www.wordpress.org), Joomla, Drupal. A mais acessível é sem dúvida o Wordpress pois tem um sistema de CMS que é simples e bastante fléxivel.

Não esquecer também o Posterous que permite o redireccionamento para domínio próprio e aceita a customização total do look and feel do blog.

3. O grafismo terá que ser aquele indicado pelos graphic guidelines da empresa no seu site corporativo - já ela mesmo baseada nos graphic guidelines gerais da empresa. O que é realmente necessário é alguém que perceba de CSS (Content Style Sheets) que possa adaptar o PHP de um template gratuito para que transmita a imagem corporativa da empresa (com as modificações ou adições que se acharem necessárias para transmitir também a linguagem mais "leve" com que se deverá escrever num blog corporativo).

Outra opção é encomendar um template de Wordpress (que podem ser adquiridos pelo mínimo de $USD 75 até um máximo de €500) em vários sites especializados.

Resumindo:
1. Um blog corporativo, importante ferramenta de comunicação mais regular com os clientes, deverá estar sempre ligado ao URL do site corporativo
2. Existem sistemas gratuitos que permitem ter um CMS que corresponde ás necessidades actuais de comunicação bem com integrar novas tecnologias de uma maneira simples.
3. O blog deverá sempre seguir as mesmas linhas gráficas já existentes e um bom coder de CSS poderá - com algumas horas de trabalho - adaptar um template já existente para que o blog reflicta a imagem da empresa sem artifícios.

FF a 11 de Novembro de 2010 às 20:52

O ponto totalmente errado é que não se pode confundir o blogue com a plataforma. O FF levanta questões sobre URLs, grafismo, gestor de conteúdos, que são especificidades técnicas secundárias visto que um blogue é um acto de comunicação. Ou seja um blogue corporativo não marca a diferença pelo aspecto, mas sim pelos conteúdos e pela relação que consegue estabelecer com os leitores.

Senão vejamos:

1. Quanto ao URL, é uma opção que cada empresa deve fazer consoante a sua estratégia. O propaganda é um blogue da Sinapse Media. Infelizmente, se estivesse alojado em blog.sinapsemedia.com, provavelmente não estaríamos a ter esta simpática troca de ideias. O facto de estar numa plataforma externa tem as suas vantagens, por exemplo no SEO. Veja outros que fizeram opções semelhantes:
Monster: http://monster.typepad.com/monsterblog/
Sunbelt Software: http://sunbeltblog.blogspot.com/

2. Plataformas: Concordamos que o Worpress (self-hosted ou não) é a melhor para gestão de blogues. O Joomla, Drupal estão incluídos no nosso "etc". O FF expandiu a lista, o que agradecemos.

3. Grafismo: mencionámos «para que o branding seja religiosamente respeitado». Acho que estamos a falar do mesmo... Mas note que também que os blogues corporativos que não têm de seguir o modelo fechado, debitanto press releases. Veja por exemplo estes bons exemplos de blogues:

General Motors: http://fastlane.gmblogs.com/
Ebay: http://ebayinkblog.com/
STIHL Brasil: http://www.jardimdasideias.com.br/

Estes dois últimos, com URLS próprios e um grafismo bem pouco institucional.

Cordeais saudações,

João,
Não subestime a minha capacidade de encontrar conteúdos na Internet :-) Penso que esta troca de ideias iria ter sempre lugar pois quando me interesso por um tema o Google é sempre o meu melhor amigo.

Quanto aos pontos que o João levanta tenho pena mas vou ter que o corrigir.

1. É falso que alojar o blog numa plataforma externa tenha vantagens em termos de SEO. Aliás só tem desvantagens. Num domínio próprio consegue-se:

a) Aceder ao mesmo por FTP o que permite por exemplo criar metadata em imagens e outros conteúdos gráficos - o que não é possível fazer numa plataforma externa.
b) inserir código de relevo para o algoritmo de pesquisa do Google em outras áreas do blog que não estão acessíveis numa plataforma comum como o blogger ou o wordpress.com

Os exemplos que o João apresenta podem ser contrapostos com muitos outros onde a opção - que é a regra e não a excepção - foi a de ter o blog corporativo alojado no domínio (Facebook, Twitter, HP, Dell, etc.)

2. Podemos concordar com o uso do Wordpress mas, para mim, a diferença entre um sistema Wordpress selh-hosted ou não é enorme.

3. João, não vale misturar alhos com bugalhos ;-) O site da General Motors que apresenta não é o blog corporativo da GM que aliás tem vários que estão alojados aqui (http://www.gmblogs.com/). O "Fastlane" é um blog especializado da GM para um determinado target, tal como o "Electric" também da GM é outro blog com um target totalmente diferente.

O blog da ebay - o ebayink - foi lançado em 2008 com objectivo de ouvir melhor os vendedores no e-bay. Para isso foi convidado alguém que não era da empresa: daí o domínio separado.

Quanto ao site da STIHL no Brasil não é um blog corporativo mas sim um site dedicado ao tema específico da jardinagem.


Sempre ao dispor para discutir estas temáticas,
Cumprimentos,
Fernando Fonseca

FF a 13 de Novembro de 2010 às 00:28

Caro FF: quando alguém entra num debate afirmando que o que o outro refere “está totalmente errado”, certamente tem outros objectivos que não a troca de ideias. Porque tenho que racionalizar o dispêndio dos meus recursos, a minha contribuição para esse objectivo termina aqui.
Cumprimentos,
João Távora a 13 de Novembro de 2010 às 13:51

Continuo a l~e-lo , João.
E vai-me ajudando.
A discussão que o FF iniciou parece interessante mas como diz o João penso que estamos a falar de um blogue ser um acto de comunicação.
Quem como eu tem uma micro-nano empresa :)) mas já com um site tenho pensado em "abrir" um blogue. Mas hesito.
Bem sei que a minha actidade é muito específica e vive de uma clientela que me vende boc a boca, mas sinto que um blogue pode potenciar os negócios e isto baseado na experiência do meu blogue pessoal que é de "bocas".
Bom fim de semana

P.S. : fico à espera de mais pistas para ver se avanço ou não com um blogue.
António P. a 12 de Novembro de 2010 às 19:26

Caro António: vamos continuar esta nossa reflexão sobre os blogues corporativos, que esperamos contribua para o António tomar as suas decisões. Muito gosto tê-lo por aqui.
Abraço
João Távora a 13 de Novembro de 2010 às 13:56

Actualizações por e-mail

O seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

Editorial
Gostamos da palavra propaganda, termo velhinho que, simplificando, antigamente definia sem complexos o conjunto de técnicas para publicitar uma ideia. Com o tempo, o termo muito utilizado pelos políticos numa conturbada fase do Século XX resistiu mal ao desgaste pelo sentido que assim se lhe deturpou: como se, realçar as virtudes próprias ou dum objecto, não fosse ambição e atitude legítimas, praticada por qualquer ser humano psicologicamente equilibrado e socialmente integrado. Ler mais
Subscrever RSS
Subscrever feed RSS.
pesquisar
 
Contactos

Aqui

links
Twingly Blog Search http://propaganda.blogs.sapo.pt/ Search results for “http://propaganda.blogs.sapo.pt/”
blogs SAPO