Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Shazam, a magia da música

Terça-feira, 26.03.13

 

Shazam é o ultimo grito da moda, uma formidável ideia feita "aplicação" para smatphones e tablets (Apple ou Andoid) de sucesso viral, que permite, apontando o aparelho para a fonte sonora em casa, num bar, na rua ou numa discoteca, identificar uma música que esteja a ouvir com rapidez, obter a letra da canção, listar os respectivos vídeos do YouTube e, não menos importante, compra-la online na Amazon. Tudo isto correspondendo à apetência dos utilizadores das redes sociais partilharem músicas: identificado o tema, o utilizador é convidado a escrever umas palavras e partilhá-la no Facebook (e no próprio Shazam) com os seus amigos. Surpreendente é a o alcance da base de dados da aplicação: reconheceu alguns temas da minha colecção de discos antigos de 78 rpm e também identifica boa parte de trechos da música chamada "clássica". 

O pilar fundamental de qualquer aplicação para internet, mais do que a sofisticação da tecnologia com que é desenvolvida é a ideia subjacente. Como sempre e uma vez mais desaguamos nos fundamentos da comunicação web: o conteúdo é rei e senhor. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por João Távora às 12:24

Portugal e os portugueses

Sexta-feira, 01.03.13

Bem conseguido, o novo vídeo institucional que o Turismo de Portugal apresentou ontem em estreia absoluta nos Prémios da revista Publituris: curto e cativante está bem focado nos nossos segmentos prioritários. Apenas ressalvo que 15 segundos gastos com os alguns monumentos mais emblemáticos, mesmo em fundo, não teria sido má ideia. A História também reflecte as pessoas, a nossa gente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por João Távora às 10:16





Editorial

Gostamos da palavra propaganda, termo velhinho que, simplificando, antigamente definia sem complexos o conjunto de técnicas para publicitar uma ideia. Com o tempo, o termo muito utilizado pelos políticos numa conturbada fase do Século XX resistiu mal ao desgaste pelo sentido que assim se lhe deturpou: como se, realçar as virtudes próprias ou dum objecto, não fosse ambição e atitude legítimas, praticada por qualquer ser humano psicologicamente equilibrado e socialmente integrado. Ler mais

Contactos

Aqui



pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Subscrever RSS

Subscrever feed RSS.