Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Comunicação de proximidade

Terça-feira, 10.09.13

O facto de as televisões terem decidido se isentar do acompanhamento das centenas de candidatos e campanhas autárquicas a decorrer pelo país, se prejudica a projecção do acto eleitoral em si, confere ao mesmo uma dimensão definitivamente local e de proximidade. Façam-se à estrada, rua a rua, porta a porta, pois então.
Claro que notícia é notícia e propaganda é propaganda. Nesse sentido espero bem que, se Costa levar com um tomate podre ou Meneses morder num cão, a CNE permita que as televisões transmitam uma reportagem.  

 

(editado) 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por João Távora às 16:33


3 comentários

De João Távora a 11.09.2013 às 16:07

Claro que foi uma fuga prá frente, pela simples razão de que me parece o CNE confunde jornalismo com propaganda, caro João. Espero aliás que se António Costa levar com um tomate podre ou Luís Filipe Meneses morder num cão que as televisões nos informem do sucedido. Notícia é notícia!

De João Rebocho Pinto a 11.09.2013 às 16:13

Quanto a isso, acho que nenhum de nós tem dúvidas!

Comentar post





Editorial

Gostamos da palavra propaganda, termo velhinho que, simplificando, antigamente definia sem complexos o conjunto de técnicas para publicitar uma ideia. Com o tempo, o termo muito utilizado pelos políticos numa conturbada fase do Século XX resistiu mal ao desgaste pelo sentido que assim se lhe deturpou: como se, realçar as virtudes próprias ou dum objecto, não fosse ambição e atitude legítimas, praticada por qualquer ser humano psicologicamente equilibrado e socialmente integrado. Ler mais

Contactos

Aqui


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Subscrever RSS

Subscrever feed RSS.