Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Redes Sociais – da cacofonia à oportunidade

Sexta-feira, 19.11.10

O advento dos “social media” veio inequivocamente democratizar a Comunicação, despertando o interesse em novas áreas de negócio, organizações ou a zelosos e intervenientes cidadãos: Se os novos meios são por natureza um território de afirmação das Relações Públicas, não se lhes deve negar a sua natureza eminentemente democrática e orgânica, cuja “espontaneidade” potencia uma inegável efectividade nos resultados.


A inspiração, as boas ideias, o bom senso e o jeito para comunicar, são qualidades repartidas por onde menos se espera, e não é raro o surgimento de casos de sucesso comunicacional com as mais improváveis origens, emergentes das redes sociais. Acontece que o argumento diferenciador entre esses casos e as iniciativas profissionais não está certamente no clássico erro da concepção dum perfil inadequado numa página do facebook, cuja solução nada tem de transcendente. 

O acesso às modernas ferramentas de Comunicação a um universo há poucos anos impensável, se dá origem uma série de erros ingénuos que chocam o olhar dos profissionais mais puritanos, tem a grande virtude de, além da propiciar a revelação dos mais improváveis génios, de propagandear de forma massiva e nunca antes ambicionada nem em sonhos, a importância duma concepção profissional de uma Marca e de uma estratégia de Comunicação consistente e credível. Da importância das Relações Públicas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por João Távora às 12:17


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.





Editorial

Gostamos da palavra propaganda, termo velhinho que, simplificando, antigamente definia sem complexos o conjunto de técnicas para publicitar uma ideia. Com o tempo, o termo muito utilizado pelos políticos numa conturbada fase do Século XX resistiu mal ao desgaste pelo sentido que assim se lhe deturpou: como se, realçar as virtudes próprias ou dum objecto, não fosse ambição e atitude legítimas, praticada por qualquer ser humano psicologicamente equilibrado e socialmente integrado. Ler mais

Contactos

Aqui



pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Subscrever RSS

Subscrever feed RSS.